Castanha do Brasil: Uma gigante ameaçada

Árvore Castanheira do Brasil.

Bertholletia excelsa, uma árvore endêmica da Floresta Amazônica,  popularmente conhecida como castanha-do-brasil, castanha-da-Amazônia, castanha-do-acre, castanha-do-pará, noz amazônica, noz boliviana, tocari ou tururi. Muito abundante no norte do Brasil e na Bolívia cujo fruto contém a castanha, que é sua semente. Está entre as maiores árvores da Amazônia chegando a medir entre 30 e 50 metros de altura e tendo entre 1 e 2 metros de diâmetro no tronco, podendo viver de 500 até 1.600 anos.

É a única espécie do gênero Bertholletia. Nativa das Guianas, Venezuela, Brasil (Acre, Amapá, Amazônia, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Rondônia), Colômbia, Peru e Bolívia, ela ocorre em árvores espalhadas pelas grandes florestas às margens do Rio Amazonas, Rio Negro, Rio Orinoco, Rio Araguaia e Rio Tocantins.

Atualmente, é abundante apenas no Estado do Acre, na Bolívia e no Suriname. Incluída na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN) como vulnerável, o desmatamento é a ameaça a suas populações. Nas margens do Rio Tocantins, foi derrubada para a construção de estradas e de uma barragem. No sul do Pará, por assentamentos de sem-terra. No Acre e no Pará, a criação de gado provoca sua morte, e a caça das cutias, que são os dispersores naturais de suas sementes, ameaça a formação de novos indivíduos.

É altamente consumida pela população local in natura, torrada, ou na forma de farinhas, doces e sorvetes. Sua casca é muito resistente e requer grande esforço para ser extraída manualmente.

As Bertholletia excelsa destinadas ao comércio internacional vêm inteiramente da colheita selvagem, e não de plantações. Este modelo vem sendo estimulado como uma maneira de se gerar renda a partir de uma floresta tropical sem destruí-la. As castanhas são colhidas por trabalhadores migrantes conhecidos como “castanheiros”.

A análise da idade das árvores nas áreas onde houve extração mostram que a colheita de moderada a intensa coleta tantas sementes que não resta um número suficiente para substituir as árvores mais antigas à medida que elas morrem. Sítios com menos atividades de colheita possuem mais árvores jovens, enquanto sítios com atividade intensa de colheita praticamente não as possuem.

Experimentos estatísticos foram feitos para se determinar quais fatores ambientais podem estar contribuindo para a falta de árvores mais jovens. O fator mais consistente foi o nível de atividade de colheita em determinado sítio.

As castanheiras dependem de um ambiente intocado para sua reprodução. Suas flores só são polinizadas por alguns tipos de insetos, que são atraídos por orquídeas que vivem perto das árvores de castanha. Se as orquídeas ou os insetos são mortos, as castanheiras não dão frutos.

O fruto da castanha leva mais de um ano para amadurecer, é mais ou menos do tamanho de um coco e pode pesar 2kg. A casca é muito dura e abriga entre 8 e 24 sementes, que são as apreciadas castanhas.

Caso não sejam devoradas por roedores, micos ou humanos, as sementes demoram de 12 a 18 meses para germinar. Muitas delas são plantadas por cutias, que roem os frutos até abrir a dura casca, comem algumas das sementes e enterram as outras para comer mais tarde. As sementes esquecidas pelas cutias brotarão da terra no ano seguinte para começar os 500 anos de vida de uma nova castanheira-do-Brasil.

Como a maior ameaça às castanheiras-do-Brasil é o desmatamento, para erradicar o risco de extinção dessa espécie precisamos cuidar de nossas florestas. Comprar apenas madeira certificada, apoiar a criação e a gestão de unidades de conservação e dar preferência a produtos sustentáveis do ponto de vista ecológico e social são formas de ajudar a conservar as castanheiras e muitas outras espécies de árvores ameaçadas.

No próximo post vamos falar dos principais benefícios de semente de castanha para a saúde e as melhores formas de consumi-las. Aguarde!

FONTE: WWF (World Wide Fund for Nature)

Quer ler mais sobre algumas árvores gigantes? Acesse: https://revistacicloambiental.art.blog/2020/04/02/saiba-tudo-sobre-as-maiores-arvores-do-mundo/

A castanha do Brasil tem propriedades antioxidantes e é um excelente hidratante para a pele. Se você procura um produto natural à base de Castanha do Brasil para a sua pele, acesse: https://www.terracotacosmetica.com.br/locao-hidratante-castanha-do-brasil-arte-dos-aromas-220ml

Assine e fique por dentro de todas as nossas postagens!

Aquecimento Global: O impacto que você sente na pele

Fonte @acidp4nic on Twitter

Aquecimento Global é um processo que aumenta a temperatura média da atmosfera e dos oceanos, interferindo e intensificando o efeito estufa, que é um processo natural e o responsável por existir vida na Terra, mantendo a temperatura ideal para vivermos nela.
Esse efeito é causado por nós mesmos. Com a atividade das nossas indústrias são liberados gases altamente poluentes para a atmosfera, fazendo com que o processo natural de aquecimento do planeta se intensifique e que o calor retido nele aumente. Além do mais, cometemos crimes ambientais como, por exemplo, desmatamento, queimadas, poluição, entre outros. O desmatamento é o maior deles já que o aquecimento global é causado principalmente pelo aumento do dióxido de carbono (CO2) na superfície terrestre, e  as plantas quando realizam a fotossíntese diminuem a quantidade deste elemento, liberando gás Oxigênio (O2) que revitaliza a Terra.
Este ciclo prejudica nós humanos em todos os aspectos e não nos traz nenhum benefício. Ele causa enchentes, alterações climáticas, aumento das temperaturas, degelo das calotas polares e desertificação, já que com o aumento das temperaturas e do Dióxido de Carbono é muito mais fácil causar queimadas naturais. Como por exemplo, a mais recente e uma das mais catastróficas, a que está acontecendo na Austrália, na qual mais de meio bilhão de animais já morreram e os moradores estão se refugiando em praias para fugir do fogo.
Os resultados deste processo até o momento são irreversíveis, mas com um pouco de esforço podemos fazer com que este problema não se agrave. Devemos assumir a responsabilidade de nosso consumo e mudarmos nossos hábitos, vivendo de um modo mais sustentável, assim não prejudicando a natureza. Além de evitarmos o desmatamento e de plantarmos mais árvores para que elas realizem seu trabalho, diminuindo a quantidade de CO2 presente no planeta Terra.

Por Mellany Nicole de Quadros Lessa