21 Atitudes Para Consumir com Consciência

Antes de fazer uma compra, todo consumidor responsável deve se fazer essas seis perguntas:

  1. Porque comprar?
  2. O que comprar?
  3. Como comprar?
  4. De quem comprar?
  5. Como usar?
  6. Como descartar?

E já que estamos falando em Consumo Consciente, que tal você leitor colocar em prática algumas dicas para consumir de maneira mais sustentável? Confira!

1.Planeje suas compras.
Não seja impulsivo nas compras. A impulsividade é inimiga do consumo consciente. Planeje antecipadamente e, com isso, compre menos e melhor.

2. Avalie os impactos de seu consumo.
Leve em consideração o meio ambiente e a sociedade em suas escolhas de consumo.

3. Consuma apenas o necessário.
Reflita sobre suas reais necessidades e procure viver com menos.

4.Reutilize produtos e embalagens.
Não compre outra vez o que você pode consertar, transformar e reutilizar.

5.Separe seu lixo.
Recicle e contribua para a economia de recursos naturais, a redução da degradação ambiental e a geração de empregos.

6.Use crédito conscientemente.
Pense bem se o que você vai comprar a crédito não pode esperar e esteja certo de que poderá pagar as prestações.

7.Conheça e valorize as práticas de responsabilidade social das empresas.
Em suas escolhas de consumo, não olhe apenas preço e qualidade do produto. Valorize as empresas em função de sua responsabilidade para com os funcionários, a sociedade e o meio ambiente.

8. Não compre produtos piratas ou contrabandeados.
Compre sempre do comércio legalizado e, dessa forma, contribua para gerar empregos estáveis e para combater o crime organizado e a violência.

9. Contribua para a melhoria de produtos e serviços.
Adote uma postura ativa. Envie às empresas sugestões e críticas construtivas sobre seus produtos e serviços.

10. Divulgue o consumo consciente.
Seja um militante da causa: sensibilize outros consumidores e dissemine informações, valores e práticas do consumo consciente. Monte grupos para mobilizar seus familiares, amigos e pessoas mais próximas.

11.   Cobre dos políticos.
Exija de partidos, candidatos e governantes propostas e ações que viabilizem e aprofundem a prática de consumo consciente.

12.  Reflita sobre seus valores.
Avalie constantemente os princípios que guiam suas escolhas e seus hábitos de consumo.

Nós ainda acrescentamos outras atitudes que podem contribuir para a sua missão de consumir com consciência:

13. Leia atentamente os rótulos antes de comprar algum produto.

 Sempre que possível, utilize produtos naturais e evite consumir produtos com derivados de petróleo.

14. Use o verso das folhas de papel, sempre que possível.

15. Feche a torneira enquanto escova os dentes.

 Se você não o fizer, pode gastar em média 25 litros de água. Um grande desperdício de recursos naturais, quando sabemos que menos da metade da população mundial tem acesso à água potável.

16. Reduza o tempo do seu banho.

Pela redução do consumo de água e de energia elétrica.

17.  Evite deixar lâmpadas acesas em ambientes desocupados.

Também tenha o hábito de desligar os equipamentos eletrônicos das tomadas, pois mesmo desligados ainda consomem energia. Economize energia.

18. Opte por comprar produtos feitos com material reciclado.

19. Opte por comprar produtos orgânicos.

Assim, você preserva sua saúde e a de sua família ao não consumir produtos químicos tóxicos.

20.  Prefira fazer suas compras no comércio do seu bairro.

 Assim você incentiva os pequenos negócios e ajuda na geração de renda de sua comunidade.

21. Peça sempre a nota fiscal de suas compras.

Você garante que não está comprando produtos pirateados (e incentivando o crime organizado), e que o comerciante está trabalhando de acordo com as normas tributárias legais. Porque o ICMS arrecadado pelos Estados nas vendas comerciais é destinado para as políticas públicas sociais de educação, saúde e segurança.

Gostou desse tema? Esse outro post pode lhe interessar: https://blogdaterra.com.br/2020/05/06/consumo-consciente-uma-necessidade-imediata/

FONTE: Instituto Akatu e CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável)

Consumo Consciente: Uma Necessidade Imediata

A humanidade já consome 30% mais recursos naturais do que a capacidade de renovação da Terra. Se os padrões de consumo e produção se mantiverem no atual patamar, em menos de 50 anos serão necessários dois planetas Terra para atender nossas necessidades de água, energia e alimentos. Não é preciso dizer que esta situação certamente ameaçará a vida no planeta, inclusive da própria humanidade.

A melhor maneira de mudar isso é a partir das escolhas de consumo.

Todo consumo causa impacto (positivo ou negativo) na economia, nas relações sociais, na natureza e em você mesmo. Ao ter consciência desses impactos na hora de escolher o que comprar, de quem comprar e definir a maneira de usar e como descartar o que não serve mais, o consumidor pode maximizar os impactos positivos e minimizar os negativos, desta forma contribuindo com seu poder de escolha para construir um mundo melhor. Isso é Consumo Consciente. Em poucas palavras, é um consumo com consciência de seu impacto e voltado à sustentabilidade.O consumo consciente é uma questão de hábito: pequenas mudanças em nosso dia-a-dia têm grande impacto no futuro.

 QUEM É O CONSUMIDOR CONSCIENTE?

O consumidor consciente é aquele que leva em conta, ao escolher os produtos que compra, o meio ambiente, a saúde humana e animal, as relações justas de trabalho, além de questões como preço e marca.

O consumidor consciente sabe que pode ser um agente transformador da sociedade por meio do seu ato de consumo. Sabe que os atos de consumo têm impacto e que, mesmo um único indivíduo, ao longo de sua vida, produzirá um impacto significativo na sociedade e no meio ambiente. Por meio de cada ato de consumo, o consumidor consciente busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade, maximizando as consequências positivas e minimizando as negativas de suas escolhas de consumo, não só para si mesmo, mas também para as relações sociais, a economia e a natureza. O consumidor consciente também procura disseminar o conceito e a prática do consumo consciente, fazendo com que pequenos gestos realizados por um número muito grande de pessoas promovam grandes transformações.

Além disso, o consumidor consciente valoriza as iniciativas de responsabilidade sócio ambiental das empresas, dando preferência às companhias que mais se empenham na construção da sustentabilidade por meio de suas práticas cotidianas.

O consumo consciente pode ser praticado no dia-a-dia, por meio de gestos simples que levem em conta os impactos da compra, uso ou descarte de produtos ou serviços, ou pela escolha das empresas da qual comprar, em função de seu compromisso com o desenvolvimento sócio ambiental. Assim, o consumo consciente é uma contribuição voluntária, cotidiana e solidária para garantir a sustentabilidade da vida no planeta.

FONTE: Ministério do Meio Ambiente

Conceito Eco-Friendly

Imagem Pixabay

Temos cada vez mais uma crescente preocupação com os assuntos relacionados a preservação do meio ambiente em que vivemos. Atualmente, esses temas são discutidos em sociedade. Há várias iniciativas públicas e privadas de conscientização das comunidades para a questão ambiental.  Existem muitos grupos de movimentos sociais e ambientais tratando de questões relacionadas a tratamento de lixo, aquecimento global, poluição dos mares e oceanos e diversos outros assuntos, que merecem atenção especial se queremos garantir um planeta sustentável para a nossa e para as próximas gerações.

Essa necessidade de adotar ações que gerem o menor impacto possível ao meio ambiente surgiu devido aos efeitos ambientais e sociais que o consumo indiscriminado e desenfreado causou.

Nesse contexto surgiu o termo “Eco-Friendly”, que se traduz como “amigável do meio ambiente” e abrange as áreas de produtos e serviços, diretrizes e políticas ambientais, consumo consciente, comportamento social, estilo de vida e processos produtivos que procurem ser menos agressivos e causadores de danos ao meio ambiente.

O termo eco-friendly está associado a hábitos de consumo ou um estilo de vida que seja amigável com o ambiente em que vivemos. Nesse contexto, há uma preocupação geral da sociedade civil com a economia de energia, com a reciclagem de lixo, com a alimentação saudável e livre de agrotóxicos, com o consumo moderado e consciente de produtos e serviços. Em outras palavras, que sejam hábitos sustentáveis do ponto de vista ambiental e social.

Já contamos na atualidade com diversas “empresas verdes” que fabricam produtos onde o processo de produção causa o mínimo de impacto ambiental possível.  Também pensam em soluções práticas, eficientes e sustentáveis nos diversos produtos que utilizamos no cotidiano

Também podemos falar de “arquitetura verde”, onde as construções são pensadas para aproveitar da melhor maneira os recursos naturais disponíveis, como o uso da luz solar, tanto para a produção de energia quanto para a iluminação de ambientes, ou onde se pode reaproveitar a água do chuva para algumas tarefas da moradia, como a utilização para a descarga dos vasos sanitários, por exemplo.

Quanto as politicas ambientais podemos ver um crescente número de cidades pensando em meios alternativos de mobilidade urbana, que proporcionem uma redução nos níveis de poluição do ar, causada pelo excesso de veículos automotores, e verificamos a execução dessas políticas através da construção de ciclovias e parques, da criação de estacionamento e a disponibilização de bicicletas e patinetes elétricos para deslocamento da população pelas ruas da cidade. Também observamos, na grande maioria das grandes cidades do país, a disponibilização de serviços de coleta e reciclagem de lixo doméstico e industrial. Os investimentos feitos pelo poder público para a geração de energia limpa levaram a criação de diversas usinas eólicas no país nos últimos anos, e estão associados a esse pensamento e essa cultura Eco-Friendly.

Todas essas ações possuem o intuito de diminuir o impacto ao meio ambiente que a interferência humana causa na natureza, e todas elas são ações e movimentos Eco-Friendly.

Você, caro leitor, também pode se considerar um ser humano “amigo da natureza” ou “eco-friendly” adotando pequenas medidas no seu dia a dia, que causem um menor impacto ao planeta, tais como:

  • Escolha alimentos orgânicos;
  • Elimine ou reduza o consumo de produtos de origem animal, principalmente o de carnes vermelhas;
  • Opte por comprar seus alimentos de produtores locais;
  • Não desperdice alimentos, energia, água e qualquer outro recurso natural;
  • Reutilize e recicle seu lixo;
  • Faça uma horta caseira e pratique a compostagem;
  • Substitua produtos com embalagens que oferecem risco ao meio ambiente por produtos com embalagens menos agressivas como bioplásticos, escovas feitas com bambu, utensílios de vidro mais durável (evitando assim o uso de materiais descartáveis), etc.
  • Elimine ou reduza o consumo embalagens descartáveis;
  • Pratique a moda sustentável, reaproveitando peças de roupas, customizando as antigas peças e trocando em brechós e bazares;
  • Utilize produtos de higiene e beleza que são “amigos da natureza”, como cosméticos e perfumarias orgânicas, veganas ou naturais.

Por fim, podemos dizer que o conceito de Eco-Friendly é simples e amplo. Várias ações e comportamentos vem sendo adotados para a preservação dos nossos recursos naturais, mas ainda há muitas práticas ambientais em que precisamos melhorar e investir para garantir um planeta sustentável para as próximas gerações. E cada um de nós precisa fazer a sua parte. Você tem feito a sua?

Por Maria Salete Luciano Lessa